Das histórias orais para o papel - Colorín Colorado | Aletria contação de histórias, história oral, literatura infantil, literatura

Das histórias orais para o papel - Colorín Colorado

Publicado: 25/03/2019

No dia 20 de março, data em que se comemora em todo o mundo o Dia do Contador de Histórias, a Aletria lançou a sua nova coleção: Colorín Colorado. Dedicada à publicação de contos narrados “de boca” por contadores daqui e d´além mar, a coleção vem reafirmando o compromisso da Aletria com a disseminação e a valorização da tradição oral. Há quase 15 anos formamos novos narradores e produzimos espetáculos e eventos pelo Brasil no intuito de levar essa arte ancestral para as novas gerações, mantendo-a viva e pulsante.

 

Colorín Colorado

Contar histórias é a mais antiga das artes. Nos velhos tempos, grupos se reuniam ao redor do fogo para se aquecer e para narrar acontecimentos. As pessoas assim reunidas contavam e repetiam histórias, para guardar suas tradições, sua língua e seus conhecimentos acumulados através das gerações.

Celso Sisto, reconhecido escritor e contador de histórias, afirma, em seu artigo “Contar histórias, uma arte maior”, que “Contar histórias na verdade é a união de muitas artes: da literatura, da expressão corporal, da poesia, da musica, do teatro…” E ressalta o poder que as palavras adquirem na narração: “As palavras contadas, então, adquirem um aspecto melódico, rítmico, visual; trazem no jeito que foram ditas, uma concretude que faz o outro ver o que se narra. As palavras contadas surgem prenhes de intenção, força, emoção. As palavras contadas querem dizer muito mais do que dizem em sua camada fônica.”

E por falar em ritmo e melodia, que tal o nome da nossa coleção Colorín Colorado? A expressão, famosa entre os contadores e os ouvintes de histórias, principalmente os de origem hispânica, é usada para encerrar as histórias narradas:

E Colorín colorado, este conto está acabado.

Não há registro da origem da frase, mas devido à cadência de suas rimas, tornou-se uma tradição popular que foi passando de geração em geração até os dias de hoje.

As fórmulas de encerramento como essa, além de darem ritmo à narrativa, reforçam a dramaticidade e o caráter performático da contação de histórias.

 

A identidade visual

Para a criação da identidade visual da Colorín Colorado, convidamos a artista Bruna Lubambo para desenvolver o selo que representaria a coleção. A ilustradora nos trouxe uma variação da nossa logo, transformando nossa lua em um misterioso personagem contador de histórias.

Assim ela nos apresenta:

“Num descampado, ou em qualquer esquina,

algumas pessoas se reúnem.

Grilos, sapos e rãs fazem algazarra.


Ela aparece por detrás da verde mata:

Dona Lua Cheia, contadora de histórias!

_Ssshhhh! Vai começar…”


Venha mergulhar, junto com a Aletria, nessa aventura de eternizar nossas histórias orais no papel!


Clique aqui e conheça o primeiro livro da coleção.

Voltar