Dia Internacional do Livro Infantil | Aletria

Dia Internacional do Livro Infantil

Publicado: 02/04/2018

Em homenagem ao escritor Hans Christian Andersen, comemoramos no dia 02 de abril, data do seu nascimento, o Dia Internacional do Livro Infantil - uma data para inspirar o amor pela leitura e para chamar a atenção para a importância dos livros infantis. Andersen foi o primeiro escritor a adaptar antigas fábulas para o público infantil. Dentre as principais obras do autor está “O Patinho Feio”, “A Pequena Sereia”, “A Roupa Nova do Rei”, entre outros contos.

A cada ano, o IBBY (International Board on Books for Young People) convida um autor de literatura infantil a escrever uma mensagem para as crianças do mundo todo e um conhecido ilustrador para criar um pôster. Esses materiais são usados de diferentes maneiras para promover os livros e a leitura. Este ano, a escritora Inese Zandere e o ilustrador Reinis Pētersons, da Lituânia, foram os convidados. Leia abaixo a mensagem escrita por Zandere e o pôster criado por por Pētersons.


O PEQUENO SE TORNA GRANDE NOS LIVROS**

As pessoas tendem ao ritmo e à regularidade, da mesma forma que a energia magnética ordena as aparas de metal em um experimento de física, da mesma forma que um floco de neve cria cristais a partir da água. Seja em um conto de fadas ou em um poema, as crianças esperam por repetições, provérbios e padrões universais porque estes podem ser facilmente reconhecidos – eles dão regularidade a um texto. O mundo adquire uma valiosa ordem. Ainda me lembro de, quando criança, lutar comigo mesma para defender a justiça e a simetria, os direitos iguais para a esquerda e a direita: se eu tamborilasse com os dedos uma melodia em cima da mesa, contava quantas vezes deveria bater com cada dedo para que os outros não se sentissem ofendidos. Eu costumava bater palmas com a mão direita sobre a esquerda, mas achei que não era justo e aprendi a fazê-lo ao contrário, com a esquerda sobre a direita. É claro que esse impulso instintivo de equilíbrio é engraçado, mas o que isso mostra é a necessidade de evitar que o mundo se torne assimétrico. Era como se eu fosse a única responsável por todo o seu equilíbrio.

Do mesmo modo, o interesse das crianças por poemas e narrativas surge da sua necessidade de trazer regularidade ao caos do mundo. Da indeterminação, tudo tende à ordem. Rimas infantis, canções populares, jogos, contos de fadas, poesia... são formas de existência ritmicamente organizadas que ajudam os pequenos a estruturar sua presença no imenso caos. Tais formas criam a instintiva consciência de que a ordem no mundo é possível e que todas as pessoas têm seu lugar único nela. Tudo flui para esse objetivo: a organização rítmica do texto, as linhas de letras e o design da página, a impressão do livro como um todo bem estruturado. A grandeza é revelada nos pequenos detalhes e nós lhe damos forma nos livros infantis, mesmo quando não estamos pensando em Deus ou em fractais. Um livro infantil é uma força milagrosa que promove o enorme desejo e a capacidade de ser das crianças. Promove a sua coragem de viver.

Em um livro, os pequenos são sempre grandes, instantaneamente, e não apenas quando se tornam adultos. Um livro é um mistério onde podemos encontrar algo que não foi procurado, ou algo fora do nosso alcance. Aquilo que os leitores de uma certa idade não conseguem entender permanece em sua consciência como uma marca, uma impressão, que continua a agir mesmo quando não é completamente compreendida. Um livro ilustrado pode funcionar como um baú do tesouro de sabedoria e cultura até mesmo para adultos, assim como as crianças podem ler um livro destinado a adultos e encontrar sua própria história, uma pista para suas vidas emergentes. O contexto cultural molda as pessoas, prepara o ninho de impressões que serão sentidas no futuro, bem como as experiências que elas terão para sobreviver enquanto preservam sua completude.

Um livro infantil representa o respeito pela grandeza dos pequenos. Representa um mundo que é sempre criado, uma seriedade lúdica e preciosa, sem a qual tudo, inclusive a literatura infantil, é simplesmente um trabalho muito pesado e sem sentido.

**Tradução feita pela equipe da Aletria


Voltar