Arte de contar histórias, nasrudin, contação de histórias, rosana montalverne, curso, oficina, nasreddin, contos, tradição oral,

Nasrudin, a verdade e a arte de contar histórias

Publicado: 10/01/2018

Atendendo a pedidos, nosso tradicional curso A Arte de Contar Histórias chegou para o verão em sua versão pocket. Segunda, dia 15/01, começa o Curso Intensivo de Verão da Aletria. Durante 5 dias, os participantes irão passar por uma formação “de cabo a rabo” em contação de histórias. Ninguém mais, ninguém menos que Rosana Mont`Alverne irá ministrar o curso, indicado não só para quem já conta histórias, mas também para quem quer começar a se aventurar na contação. Mães, pais, professores, atores, brincantes, bibliotecários, empresários, psicólogos, dentistas, motoristas… seja qual for sua ocupação, afinal todos nós contamos histórias!



E já fica a dica da Aletria, para ser um bom contador duas coisas são fundamentais: 1) Acreditar na história contada, sabendo que verdades são várias; e 2) Construir um bom repertório, alimentando seu baú de histórias e dando sua personalidade a ele. Pensando nessas dicas, o Blog da Aletria traz um conto do famoso Nasrudin* sobre verdades. Essa aí vai para seu repertório?



Nasrudin e a verdade 



Um dia, Nasrudin estava sentado na corte. Queixava-se o rei de que os seus súditos eram mentirosos.


“Essas leis não tornam melhores as pessoas", disse Nasrudin ao Rei. "Elas devem praticar certas coisas de forma a sintonizar-se com a verdade interior, que se assemelha apenas levemente à verdade aparente."


O Rei decidiu que poderia fazer com que as pessoas observassem a verdade. Ele poderia fazê-las praticar a autenticidade. Foi então que teve uma ideia.


O acesso a sua cidade era feito por uma ponte, sobre a qual o Rei ordenou que fosse construída uma forca. Quando os portões foram abertos ao alvorecer do dia seguinte, o Capitão da Guarda estava postado à frente de um pelotão para averiguar todos os que ali entrassem.


Um édito foi proclamado: "Todos serão interrogados. Aquele que falar a verdade terá seu ingresso permitido. Se mentir, será enforcado."

Nasrudin deu um passo à frente.


"Aonde vai?"


"Estou a caminho da forca", respondeu Nasrudin calmamente.


"Não acreditamos em você!"


"Muito bem, se estiver mentindo, enforquem-me!"


"Mas se o enforcarmos por mentir, faremos com que aquilo que disse seja verdade!"


"Isso mesmo: agora sabem o que é a verdade: a sua verdade!”



* Originário do folclore da Turquia, o personagem Nasrudin é um mulá (que em árabe significa "mestre"). É um herói curioso: parece ingênuo de tudo, mas é mais esperto do que todos nós. Alguns de seus contos são dignos de um verdadeiro sábio oriental, com enigmas lógicos e soluções mirabolantes. Outros são casos de simpática malandragem, de confusões que só se resolvem com muita esperteza. Nasrudin às vezes lembra personagens familiares aos brasileiros: Pedro Malasartes e João Grilo, cujas travessuras e astúcias são narradas há séculos nos países de cultura ibérica.






Voltar